Treinamento Empresarial com a Viggo Sistemas, em Acari-RN

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
Dias 02 e 03 de junho de 2012 estivemos com a Viggo Sistemas realizando um Treinamento Empresarial, no Pontal do Seridó, em Acari-RN. Na ocasião, foi trabalhado o tema O Sentido do Trabalho em Equipe. Uma abordagem em que desenvolvemos reflexões e discussões importantes para a sobrevivência da empresa numa época de relacionamentos difíceis e de competições cada dia mais acirradas entre as empresas e no seu ambiente interior.

O treinametno envolveu momentos de música, jogos, dinâmicas, brincadeiras, caminhada ecológica e atividades de promoção da superação de dificuldades e valorização profissional a partir do conhecimento interior.

O evento superou as expectativas dos participantes quanto ao conteúdo e aplicações práticas, e também superou minhas expectativas quanto ao nível de comprometimento dos participantes da Viggo Sistemas. Com uma equipe de apoio para dar o suporte necessário às necssidades dos participantes, as atividades se desenvolveram em dois dias, num ambiente natural e agradável, diferente do ambiente diário de trabalho da empresa. Parabéns à VIGGO SISTEMAS!

Veja algumas fotos das atividades e momentos de descontração da equipe:












Os pais têm seus orgulhos

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
De início parece uma coisa ruim. Mas o orgulho no seu sentido mais nobre tem um valor inestimável. E aí é que entra o significado do título da minha postagem. Eu sou um pai orgulhoso dos filhos que tenho.

Eu tenho todos os motivos do mundo para agradecer à Deus pelos três presentes que Ele me deu. Poderia escrever um sem número de textos sobre a importância dos meus filhos em minha vida. Mas, no casos em particular eu quero apenas falar sobre a preocupação do meu filho Kenny com a beleza e o design do meu blog. Além, é claro, da minha sobrevivência profissional.

Como podem ver e curtir, o nosso blog está de cara nova. Mais bonito, versátil e dinâmico. Pois bem. Tudo isso é fruto da sua perspicácia e inteligência. A preocupação de meu filho Kenny com a imagem do blog é, na verdade, sua preocupação com o conteúdo do que escrevo e para quem escrevo. Por isso, aproveito para lhe desejar um bom proveito desse importante instrumento de comunicação e troca de conhecimentos.

Este é o nosso novo blog. Em breve estarei voltando com mais matérias e artigos interessantes. Obrigado pelo carinho da leitura e dos comentários. Não deixem de visitar e não deixarei de escrever, sempre que tiver algo que possa merecer sua atenção.

Obrigado meu filho! Tenho o maior orgulho que um pode pode ter de um filho!

Artigo do Blog de Miranda Sá nos remete a reflexões interessantes

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
INCOMPETÊNCIA TOTAL: PIB, PIBÃO E PIBINHO
MIRANDA SÁ, (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

No meu pensamento, a tarefa dos governantes num País emergente, republicano e democrático, deveria trabalhar para vencer o atraso. Para ser feito isto, precisaria objetivar a qualidade da Educação Pública, como fizeram os Tigres Asiáticos.

Não vou atrás de modelos estrangeiros para exemplificar esta tese. Acima dos partidos e das ideologias, até mesmo das personalidades, os Cieps de Brizola e os Ciacs de Collor estão aí para mostrar o que deve ser feito.

Infelizmente não há – pelo menos na Era Lulo-petista – vontade política para sanar esta necessidade nacional que salta aos olhos. Eximo dessas denúncias a presidente Dilma, que ocupa a Chefia da Nação por acaso; mas levará a culpa de por à frente do Ministério da Educação, o ridículo Aloísio Mercadante capaz de dizer que, “pelo tamanho do Brasil é muito difícil executar o Enem”.

Outra coisa, o projeto nacional em curso (se é que existe um projeto nacional) implicaria, teoricamente, em fazer o País crescer; e, para isso, necessitaria de quadros preparados para enfrentar a conjuntura econômica nacional.

Seria dispensável um pelego despreparado como o ministro Mantega, que culpa o vôo de uma borboleta ou a queda de uma folha seca pelo desandar das suas políticas experimentais, sendo que o governo a que ele assumiu era um barco navegando nas águas plácidas da bonança.

Não passava pela cabeça de ninguém (a não ser dos marxistas empedernidos) a crise do capitalismo nos Estados Unidos e na Europa, que ele = oportunista – responsabiliza pelo baixo crescimento do PIB…

PIB: Produto Interno Bruto. É um indicador que representa em números a soma em valores monetários de todos os bens e serviços finais produzidos, em cidades, municípios, estados ou países, num determinado período. Sua função é medir os frutos da atividade econômica num espaço/tempo geográfico.

Para se chegar ao PIB, agrega-se unicamente bens e serviços finais, excluindo-se operações e produtos de consumo intermediário, para evitar a contagem dupla dos valores gerados na cadeia de produção.

Pois bem. Os propagandistas do PT-governo prometeram um PIBÃO para 2011, e quando foram ver o PIB, ele não passava de um PIBINHO. Encontrou-se um baixo crescimento, inflação em alta e piora das contas externas no mapa da economia brasileira em 2011.

Aí foi um Deus nos acuda! Os ocupantes do poder, baratinados, voltam a falar de um novo “projeto nacional”, de promover reformas, de favorecer este ou aquele setor industrial, enfim, de entrar em órbita no concerto mundial.

Com esse PIB raquítico de 2,7% em 2011, é preciso levar a sério a administração da economia como um todo, porque – não tem jeito – o problema é de gestão. Com os gastos públicos sem controle e um ministério ineficiente, não dá para sair do atoleiro.

A incapacidade de Mantega prende-o a duas coisas: a crise mundial e o câmbio. Ora, a crise européia é a mesma que anteriormente seu chefe e mentor Lula chamou de “marolinha”, e o tsunami de dólares desequilibrando o câmbio, é a parte que nos cabe no latifúndio multinacional…

Não adianta ficarem culpando os outros… Se o crescimento de 2,7% do PIB ficou abaixo do que o governo havia previsto, é porque o governo para se valorizar fraudou os números e as perspectivas. E a fraude é corriqueira nos atos do PT-governo.

Não é preciso ir longe para afirmar que é a desastrada política econômica que contribui para a desindustrialização e o alto custo do produto nacional incompetitivos no mercado mundial. A sorte foi que a alta do preço das commodities salvou uma parte das nossas receitas de exportação.

Finalmente, é preciso olhar o retrato da nossa economia, do negativo à revelação. Se o PT-governo funcionasse, teria um papel decisivo. Investiria na Educação, faria a reforma tributária, estimulando indústria com investimentos (sem protecionismos acomodatícios) e realizaria as fundamentais melhorias na infraestrutura.

AS MAIORES MENTIRAS NACIONAIS

Postado por GALVÃO FREIRE | 2 comentários»
Carlos Chagas:

De passagem por Brasília o ministro aposentado do Superior Tribunal Militar, Flávio Flores da Cunha Bierrenback, utilizou as horas de ócio jurídico para desenvolver uma prática que, salvo engano, anda cada vez mais rara na capital federal: pensar. Como simples cidadão, meditar sobre os rumos do país neste início de Século XXI.

Ex-deputado pelo velho MDB de São Paulo, ele foi flagrado um dia desses elaborando a lista das maiores mentiras que circulam como verdades absolutas em todo o território nacional. Não foi possível conhecer todas, primeiro pela cautela de Bierremback em tornar públicos pensamento íntimos. Depois, porque a relação parece infinita, valendo analisar mais a fundo alguns aspectos da arte de enganar a sociedade, praticada pelas elites.

MENTIRA UM
A primeira mentira é chocante. Sustenta que 'a Previdência Social está falida'. Não é verdade, rabisca o ministro em seus alfarrábios. Os recursos da Previdência Social, se não fossem historicamente desviados para outras atividades, dariam para atender com folga e até com reajustes anuais maiores os pensionistas e aposentados. Não seria necessário obrigar os funcionários públicos que se aposentarem de agora em diante ficarão nivelados pelas vergonhosas cifras do INSS. Basta atentar para o que anunciaram, quando ministros, Waldir Pires, no governo Sarney, e Antônio Brito, no governo Itamar Franco. Nada mudou, apesar de que, quando assumiu, Fernando Henrique Cardoso dedicou-se a espalhar a falência imediata, certamente vítima da febre privatizante, que jamais deixou de cobiçar a Previdência Social pública. Agora, é o ministro do governo Dilma, Garibaldi Alves, que repete a cantilena da vigarice, ao estimular a previdência privada para engordar o lucro dos bancos.

MENTIRA DOIS
Outra mentira imposta ao Brasil como verdade, conforme Bierremback, é de que 'estamos inseridos no mundo globalizado'. Para começar, globalizado o planeta não está, mas apenas sua parte abastada. O fosso entre ricos e pobres aumenta a cada dia, bastando lançar os olhos sobre a África, boa parte da Ásia e a América Latina. O número de miseráveis se multiplica, sendo que os valores da civilização e da cultura são cada vez mais negados à maioria. Poder falar em telefone celular constitui um avanço, mas se é para receber eletronicamente informações de que não há vagas, qual a vantagem? Os países ricos entraram em colapso, mas que solução apresentam? Explorar os países em desenvolvimento enchendo-nos de euros e de dólares que não queremos e nem precisamos, para entrarem de manhã e saírem à noite lucrando com os juros mais altos do planeta, sem haver criado um emprego nem forjado um parafuso.

MENTIRA TRÊS
Como consequência, outra mentira olímpica surge quando se diz 'que o neoliberalismo é irreversível'. Pode ser para as elites, sempre ocupando maiores espaços no universo das relações individuais, às custas da continuada supressão de direitos sociais e trabalhistas. Se neoliberalismo significa o direito de exploração do semelhante, será uma verdade, mas imaginar que a Humanidade possa seguir indefinidamente nessa linha é bobagem. Na primeira curva do caminho acontecerá a surpresa. Ou melhor, já apareceu, com a indignação das massas trabalhadoras, na Europa, diante da redução de salários e de direitos sociais.

MENTIRA QUATRO
Na mesma sequência, outra mentira, para o antigo vice-presidente do STM: 'o socialismo morreu'. Absolutamente. Poderá ter saído pelo ralo o socialismo ditatorial, por décadas liderado pela ex-União Soviética, mas o socialismo real, aquele que busca dar aos cidadãos condições de vida digna, a cada um segundo sua necessidade, tanto quanto segundo a sua capacidade. O que não pode persistir, e contra isso o socialismo se insurge, é a concentração sempre maior de riqueza nas mãos de uns poucos. Não pode dar certo.

MENTIRA CINCO
Nova mentira: 'o Estado tem que ser mínimo, deve afastar-se das relações sociais e econômicas'. Para que? Para servir às elites? Especialmente em países como o Brasil, o poder público precisa prevalecer sobre os interesses individuais e de grupos. Existe para atender às necessidades da população que o constitui, através da via democrática. Deve contrariar privilégios e estancar benesses para os mais favorecidos, atendendo as massas.

MENTIRA SEIS
No que deu para perceber, até aqui, ainda incompleta, a lista de Flávio Flores da Cunha Bierremback ultrapassará quantas ele se proponha elaborar, sobre as mentiras que nos atingem. Mas não faltará uma que, felizmente, dissolveu-se através de um plebiscito nacional, tempos atrás: 'de que a proibição da venda, comercialização e posse de armas faria a criminalidade decair'. Ora, se ao cidadão comum fosse negado o direito de se defender, na cidade e no campo, estaria a sociedade brasileira ainda mais à mercê da bandidagem. Seria a felicidade do ladrão, sabendo que não há armas na casa que vai assaltar.

Do blog:
Com certeza, outras mentiras existem e outras serão inventadas. É isso que alimenta os que não conseguem viver sem os privilégios do poder, e não têm capacidade inventiva de verdades que podem por em cheque seus projetos pessoais.

Nesta música de Pe. Zezinho, minha homenagem ao amigo Manxinha, que dedicou sua vida à causa da justiça e da arte.

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
Mataram Mais Um Irmão
Padre Zezinho

Por causa da Tua palavra
Por causa da libertação
Por causa de um pouco de terra
Por uma fatia de pão
Mataram mais um irmão (4 X)

Mais Ele ressuscitará (3 X)
O povo não esquecerá (3 X) (bis)

Por causa do Teu Evangelho
Por causa da nossa nação
Por causa da esperança
Por causa da religião

Mataram mais um irmão (4 X)
Mais Ele ressuscitará (3 X)
O povo não esquecerá (3 X) (bis)

Por causa de um mundo mais justo
Por causa de tanta opressão
Por causa de coisas que disse
Por ter defendido os irmãos
Mataram mais um irmão (4 X)

Mais Ele ressuscitará (3 X)
O povo não esquecerá (3 X) (bis)

Há muitas formas de se matar uma pessoa. E, quando essa pessoa é um artista, um gênio da arte, devotado às criações do seu interior, a pior delas é o ostracismo. É nessa condição de abandono e esquecimento que o artista se esvai em desencanto pessoal interior.

Manxinha morreu como morrem todos os gênios: Incompreendido! Sua dedicação à arte o tranformou em um ser humano diferente, à frente do seu tempo. Infelizmente, a gente demora muito tempo para se dar conta do que temos até que o perdemos. Foi assim com o nosso Manxinha. Perde o mundo, perde o Brasil e, principalmente, perde nossa linda e pacata cidade de São Vicente.

Nosso único conforto é saber que as manchas são difíceis de sair. Mas como o nosso "Manxa" é com xís, aí sim que não sai mesmo, e ficará para sempre em nossos corações.

Eis um manifesto interessante, no qual vale a pena pensar!

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
CARTA MANIFESTO AO POVO DE CAICÓ

DESPERTA CAICÓ!!!
Há tempo, dois grupos políticos se revezam no poder. Caicó tem viajado numa encruzilhada de mão dupla. Roda, roda, vai e vem e não chega a lugar algum. É a pura contra-mão do atraso. VAMOS CONSTRUIR UMA 3ª VIA: UMA NOVA ESTRADA QUE LEVE O POVO CAICOENSE RUMO À FELICIDADE. Um Projeto Político Democrático Participativo que, denunciando o fracasso e a corrupção sem freios da política tradicional, busque chegar à Prefeitura e à Câmara com o apoio do povo, a fim de IMPLEMENTAR UMA ADMINISTRAÇÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA, NA QUAL O POVO É CHAMADO A PARTICIPAR AO MENOS EM QUATRO NÍVEIS: NO PLANEJAMENTO, NA EXECUÇÃO, NOS RESULTADOS E NA AVALIAÇÃO. AGORA É NOSSA VEZ!

É O VERBO CONTRA A VERBA. É a sabedoria e inteligência do Povo contra o dinheiro sujo em véspera de eleições. É a verdade contra a mentira. É a Justiça contra a injustiça. É a Ética contra a corrupção. É o amor contra o ódio. Sou Eu, é Você, somos todos Nós dispostos a fazer nossa própria História. Chega de governos de pequenos grupos, que pensa apenas em meia dúzia de privilegiados.

O Município de Caicó sempre foi administrado por dois grupos políticos que se revezam no poder e buscam apenas e tão-só seus interesses pessoais e do grupo. Desta vez, vamos buscar na inteligência e na sabedoria do povo caicoense, uma forma de administração que vise contemplar a grande maioria do povo. Vamos administrar o Município com o Povo e para o Povo. É ver pra crer. Ou melhor, PARTICIPAR PRA VER!

VAMOS DE 3ª VIA. DESPERTA CAICÓ! EIS O GRITO DE LIBERDADE. Todos nós caicoenses somos inteligentes. Basta despertar os nossos sonhos. Fazê-los realidade. Venha, junte-se a nós, vamos chegar ao poder com a força da nossa inteligência e sabedoria. Nós, o Povo, temos o poder. O poder de ser candidato. O poder de ganhar as eleições. O poder de governar Caicó de forma Democrática Participativa. O poder de governar com sinceridade e respeito ao Próximo. O poder de governar sem desviar o dinheiro do Povo. O poder de dar vez e voz aos nossos irmãos, sem distinção de qualquer natureza, pois todos nós somos a imagem e semelhança de Deus. É só a gente querer. O poder que do povo arrebataram há de voltar para o Povo.

“Caro Amigo, estás me ouvindo? Onde te encontres, levanta os olhos! Vês, Amigo? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo das trevas para a luz! Vamos entrando num mundo novo - um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergues os olhos, Amigo! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança. Ergue os olhos, Amigo! Ergue os olhos!”

A LUZ DA ESPERANÇA PAIRA SOBRE CAICÓ! DESPERTA CAICÓ!!!

(Idealização e Contribuição – O Povo)
Recebi o manifesto acima por E-mail, achei interessante e resolvi, como cidadão, repassar para os amigos e amigas.

Mulheres da minha vida!

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Eu e minha linda Sônia. Um amor que nasceu do olhar!

Minha esposa Sônia e minhas lindas filhas: Stéphanie e christianne.

Eu e minha linda e especial mãe, Dona Nininha. Obrigado Deus!
É muita felicidade para um simples mortal ter mulheres tão bonitas e tão importantes em sua vida!
Só me resta, com muita alegria, agradecer à Deus!

Minha homenagem às mulheres!

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Eu e minha esposa Sônia. A mulher que me ensina a viver.
A cada ano a gente se vê diante de uma nova oportunidade de rever conceitos e repensar nossas práticas diante de um ser que tem todos os motivos do mundo para merecer nosso respeito e nossa gratidão. Para isso é preciso que a gente abra as portas do coração, as janelas da alma e os portões da mente. Não é possível compreender a importância da mulher sem ter grandeza de alma!

A mulher não é uma invenção, é criação! E não é, uma criação. É, a criação! Sim, porque quando Deus fez a mulher, certamente, Ele não imaginou ter feito mais um ser. Acredito que Deus, em sua suprema sapiência, se superou e criou a criatura por excelência! O único ser capaz de dar continuidade às obras do Criador.

Na verdade, não é novidade pra ninguém que falar de mulher não é fácil. A gente começa a falar e, de repente se vê envolvido com um sem número de palavras para definir o indefinível! Então, nada me resta senão dizer mais algumas palavras, e pedir que o leitor imagine que tudo que eu digo vem do fundo do meu coração. Cada palavra representa minha admiração e meu respeito pela maior colaboradora de Deus na arte da vida!

E, de maneira muito singular, quero manifestar minha gratidão a Sônia. Uma jovem que se fez mulher e desde antão me ensina a arte da vida em comunhão. Amiga, mãe, companheira, colaboradora, aluna e professora. Força nas minhas fraquezas e lenimento nas minhas dores e dificuldades. Uma pessoa que Deus me deu como presente para, como esposa, me acompanhar por toda vida!

Por fim, tudo que eu mais rogo à Deus nesse momento é que as mulheres não se cansem de promover a paz! Afinal, o mundo não resistiria um só dia sem as mulheres!

Parabéns mulheres!

Obrigado à vocês, mulheres!

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Obrigado à vocês, mulheres, porque pelo exemplo nos fazem entender que a força vem mesmo é do coração!


Obrigado à vocês, mulheres, que nos dizem no silêncio tudo o que não conseguimos verbalizar em milhões de palavras!

Obrigado à vocês, mulheres, que pelo exemplo de Maria, dizem sim à vida e fazem o mundo continuar!

Obrigado à vocês, mulheres, porque nos fazem crer que somos fortes para não ver expostas nossas fraquezas!

Obrigado à vocês, mulheres, por dividirem conosco a tarefa que a vocês Deus confiou, de reprodução da vida!

Por favor, não se cansem de nos ensinar, e prometemos não nos cansarmos de aprender!

PAPEL SOCIAL DO MAÇOM

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Autoria: Eduardo Gomes de Souza
www.brasilmacom.com.br - PAPEL SOCIAL DO MAÇOM
Em princípio é importante admitir que homens e mulheres se comportem de formas diversas em situações sociais diferentes e assumam papéis distintos, devido às expectativas que a sociedade coloca sobre eles (incluindo estereótipos e preconceitos). Portanto, comportamento humano é guiado por expectativas mantidas tanto pelo indivíduo como por outras pessoas.

A teoria dos papéis sociais é baseada na noção de que as ações, comportamentos, atitudes e desejos são conformados por um conjunto de funções específicas, socialmente determinadas. Assim a teoria do papel social admite que a sociedade construa um conjunto de normas socialmente aceitáveis, cria expectativas de que as pessoas internalizam esses valores e acatando-os se tornam socializados. Por consenso tácito, certos comportamentos são considerados adequados e outros inadequados. As pessoas podem então escolher entre aceitar essas normas ou agir contra elas.

Alguns papeis são específicos para determinadas situações e só podem ser assumidos dentro de um determinado contexto. Por exemplo, o papel da esposa ou do marido só pode existir dentro do contexto de um casamento. Da mesma forma, quando um médico entra em um hospital ele desempenha o papel de um médico. Quando o médico vai para casa, para sua família, ele desempenha o papel de marido ou pai. Assim também o papel de maçom é desempenhado em determinados momentos na vida do individuo.

Ao longo da vida, desempenhamos uma variedade de funções, os papeis serão determinados pelas expectativas e contextos sociais em que nos encontrarmos. No trabalho, por exemplo, uma pessoa pode desempenhar o papel de chefe ou subordinado. Esta mesma pessoa pode desempenhar o papel de amigo, bebendo com companheiros em um bar, depois ir para casa e agir com a esposa como marido.

Quando agimos fora do contexto de uma determinada função, estamos desenvolvendo um estereótipo, eles são em grande parte os resultados de expectativas internas ou externas. Um estereótipo é geralmente o resultado de preconceitos desenvolvidos com base em atitudes discriminatórias. Pode-se agir sob o domínio de um estereótipo, mas então não estamos desempenhando um papel social, mas, obviamente, agindo equivocadamente. Geralmente, os papéis são legítimos quando são combinados com as funções. Quando eles são puramente estereótipos, eles existem não como realidades sociais, mas como ficções discriminatórias.

O maçom na atualidade não pode se apegar em como a Maçonaria contribuiu para a construção e consolidação da Nação, para pautar seu papel social, pois estaria cultivando um estereótipo. Como a Sociedade, ela sofreu processos simultâneos de burocratização e expansão global; a Maçonaria sofreu uma grande transformação. Apesar de sua consistente historia elitista, ela passou a ser uma instituição relativamente aberta, que inclui homens de várias religiões, classes sociais e políticas, e se tornou cada vez mais laica, de classe média, aberta e inerme ao longo do tempo.

A Maçonaria busca admitir qualquer homem livre, independentemente de sua religião, status social, orientação política e raça (desde que acredite na existência de um principio criador), e ensina aos seus membros lições de auto aperfeiçoamento, espiritualidade e fraternidade.

O maçom tem que ser um exemplo!

A começar pelo saber. A busca do conhecimento em maior medida sempre, em uma medida sem precedentes, tem que ser o objetivo do maçom. O conhecimento é valioso para aqueles que estão dispostos a se esforçar para dominá-lo. Esse conhecimento é geral, não pode ser adquirido apenas a partir dos livros ou cursos universitários.

De comportamento e moralidade. O maçom tem que distinguir-se como homem de valor moral e social superior. A Ordem apresenta-se como guardiã social da virtude e da iluminação; nela os maçons podem se dedicara um programa específico de auto-aperfeiçoamento moral. Os maçons devem reformar seus costumes e seu comportamento de forma e se tornarem seres civilizados, esclarecidos e morais.

De fraternidade. Tem que agir sempre com base em sua observação das necessidades dos outros. O maçom é um altruísta, sempre pronto para auxiliar a todos que dele necessitem. Quando as pessoas ouvem a respeito de alguém em necessidade, seu impulso natural é para ajudar. A Maçonaria está apenas dando-lhe a oportunidade para operacionalizar esse impulso.

Assim o Maçom tem que ter Responsabilidade Social; seu comportamento tem que ser pautado na ética ou na ideologia teorizada pela entidade que representa. Ele, como indivíduo, tem a obrigação de agir em benefício da sociedade em geral. Esta ação pode ser passiva, evitando engajar-se em atos socialmente prejudiciais, ou proativas, através da realização de atividades diretas de promoção dos objetivos sociais.

Dentro desse contexto, vemos como papel social do maçom atual, o esforço para descobrir e trazer à tona os elementos emergentes e os anseios da comunidade que são subconscientes, para o desenvolvimento integral dessa comunidade, do seu ambiente social.

O maçom não é uma parte da comunidade quando, uma vez por semana, vai voluntariamente a uma reunião da Loja e contribui no Tronco de Solidariedade. Ele tem que fazer parte da comunidade todos os dias. Ele tem que estar atento para o que é necessário realizar e pensar como os problemas podem ser resolvidos. Sua ação social, como Maçom e membro da Comunidade, é contribuir para que sejam tomadas decisões e realizadas ações que irão melhorar o bem-estar e a qualidade de vida da comunidade.

Podemos sintetizar as teorias sociológicas atuais, em três fases essenciais para o processo de desenvolvimento comunitário. A primeira fase consiste na determinação se a comunidade está preparada para passar a um nível mais elevado de desenvolvimento através de suas energias excedentes, há consciência dessas possibilidades, é aspiração da comunidade alcançar essas possibilidades completamente. A segunda fase consiste na determinação se os indivíduos da comunidade têm consciência e expressão dessas aspirações de maneira sólida. Finalmente, na terceira fase a iniciativa do maçom é buscar os indivíduos que são aceitos pela comunidade e organizá-los, buscando a integração da comunidade.

Em nossa teoria de desenvolvimento social, há um desejo, mesmo que seja subconsciente, da comunidade para a mudança e o progresso. Existe também um maçom que está em sintonia com esse desejo, mesmo que a sociedade ainda não esteja. Ele traz uma proposta para apresentar a comunidade, ela aceita e abraça a ideia.

Posta em prática, a comunidade cresce, muda, se desenvolve. Por exemplo, um maçom constrói uma lixeira de metal e instala na calçada em frente a sua casa, mesmo que a comunidade não esteja consciente do potencial da ação para limpeza da superfície da via pública, reconhece que o esforço dele faz com que a limpeza pública seja uma realidade, a sociedade o acompanha e ao abraçar a ideia contribui para o desenvolvimento comunitário. O que inicialmente foi subconsciente para a comunidade, agora se tornou consciente.

Embora a comunidade possa estar preparada para a sua ascensão a um nível superior de desenvolvimento, ainda precisa de um agente para transformar essa vontade em ação. Esse é o papel social dos maçons. Os maçons têm que ser pessoas dispostas a sair dos padrões, dos moldes existentes, e tentar algo novo. Através das suas ações conscientes, os maçons expressam alguns aspectos das aspirações que estão apenas parciais ou inconscientes para a comunidade.

O maçom não pode ser um pária, radical ou desajusta dona comunidade, mas sim parte das suas aspirações, conhecimentos e valores em um alto grau. O maçom rompe com os modelos e moldes da comunidade, mas fica dentro dela, não fora do ambiente social da comunidade, traçando novos cursos ou revelando novas possibilidades.

O maçom tem que estar muito à frente de seu tempo, para estar sempre em sintonia com a aspiração da comunidade, e suas ações devem inspirar outros a tomarem as mesmas iniciativas. Assim, as iniciativas do maçom pioneiro se multiplicam por toda a comunidade, desencadeando um movimento de desenvolvimento.

O indivíduo pode pensar em si mesmo, não influenciando a Comunidade. Essa concepção de vida não permite a grandeza e a genialidade. O maçom subjuga os interesses individuais, investiga e descobre o que a comunidade necessita e anseia, mesmo subconscientemente. E busca levá-la a consecução desses objetivos, tornando-se um verdadeiro líder.

Pense, você pode viver melhor.

Palestra realizada no dia 11 de agosto de 2011, na A.R.L.S. de Estudos e Pesquisas Maçônicas Sabedoria Triunfante nº 4069. Fonte: www.brasilmacom.com.br 

Economia mundial pode ter nova recessão

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Relatório da ONU reduziu em 1 ponto a estimativa de crescimento da economia em 2012, que agora é de 2,6%Redação

A economia mundial está à beira de uma nova recessão, de acordo com previsões divulgadas nesta terça-feira pela Unctad (Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento). “Uma nova recessão global é uma possibilidade nada desdenhável”, adverte o relatório Situação e Perspectivas da Economia Mundial.

Segundo o estudo, houve uma piora generalizada para as principais economias do mundo em relação ao que era esperado em junho do ano passado. O órgão da ONU reduziu quase à metade, para 2,7%, sua previsão para o crescimento do Brasil em 2012. Em relatório divulgado em junho do ano passado, a previsão da ONU para o crescimento do Brasil em 2012 era de 5,3%. “Brasil e México devem sofrer desacelerações econômicas mais visíveis”, afirma o documento, citando que o avanço no PIB do país já foi reduzido pela metade em 2011, para 3,7%, após uma forte alta de 7,5% em 2010.
A entidade alerta que após dois anos de “recuperação anêmica e desigual”, por causa da crise financeira, a economia global “está à beira de outra grande recessão”. No relatório anual, a organização reduziu em 1 ponto a estimativa de crescimento da economia em 2012, que agora é de 2,6%. O órgão também revisou para baixo a expansão estimada em 2011 em 0,5 ponto, para 2,8%. Para a América Latina, a previsão para 2012 é de crescimento de 3,6% e de 4,5% no ano seguinte.

Morre Dom José Freire, bispo da era de ouro da Igreja

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Morre Dom José Freire de Oliveira Neto, 83 anos, o segundo bispo filho da diocese, natural do município de Apodi, RN. Ele foi, inicialmente, auxiliar de Dom Gentil Diniz Barreto, e, depois, nomeado pelo papa, bispo da diocese de Mossoró. Governou a diocese durante 20 anos, de 14 de março de 1984 a 17 de outubro de 2004.

Dom Freire pertence à safra dos bispos de grandes ideais, que marcou a era de ouro da Igreja no Brasil. Ele é da geração dos bispos militantes da Igreja Pós-Conciliar, tinha opções eclesiais claras e causas nobres, ao lado de brilhantes figuras no episcopado, como Aloísio Lorscheider, José Maria Pires, Hélder Camâra, Paulo Evaristo, Eugênio Sales, Luciano Mendes e outros. O novo jeito de fazer e de ser Igreja, a partir das inovações libertadoras dos documentos pós-conciliares, alimentavam a esperança e o dinamismo pastoral dos bispos.

Naquela época, 1984, ainda vivendo sob a ditadura militar, havia no episcopado brasileiro, os bispos que optaram ficar do lado do povo, lutando pelo resgate da democracia, por justiça social e pela liberdade de expressão. Dom Freire era um deles.

Iniciou seus estudos de padre no seminário de Santa Teresinha em Mossoró, depois continuou no Seminário de São Leopoldo, RS, e, concluiu com o mestrado em Ciências da Educação, com especialização em catequese, pela Pontifícia Universidade Salesiana, em Roma.

Era nostálgico e, ao mesmo tempo, divertido, escutar Dom Freire falando da sua bela história vocacional. Várias vezes, no seminário Santa Teresinha, nós, seminaristas, tivemos a oportunidade de escutá-lo: narrava com detalhes, desde o dia em que chegou de trem em Mossoró pra entrar no seminário menor, suas viagens de navio para São Leopoldo, sua relação de amizade com Sátiro e Américo, que, na época, também eram seminaristas.

Estudando na Europa, Dom Freire continuou fiel ao modelo de Igreja das comunidades de base, povo de Deus. Vivia com o corpo na Europa e cabeça na Igreja da América Latina. Motivado pela primavera inovadora que vinha do recente Concílio Vaticano II, Dom Freire ousou escrever sobre Catequese Renovada, que na época, causava um certo tremor e temor nos homens do Vaticano.

Voltando ao Brasil, foi referência nacional na área catequética, proferia conferências nos regionais e dioceses de todo o país. Foi um dos redatores do documento oficial nº 26, "Catequese Renovada", da CNBB. Dom Hélder Câmara o estimava muito e o chamava de bispo da catequese. Penso que, a catequese no Brasil, especialmente no Regional Nordeste II, tem uma grande dívida com Dom Freire.

Cada um pode descrever características que identificam o episcopado de Dom Freire. Eu, também, tenho as minhas. Hoje, quando recordo a missa dominical das nove horas, na Catedral, transmitida pela rural, rapidamente vem a imagem de Dom Freire. Ainda criança, morando no sítio Bartolomeu, ouvia aquela voz: "meus irmãos e irmãs presentes na catedral de Santa Luzia e ouvintes de casa".

Chegando em Mossoró pra estudar, passei a entender o porquê de algumas homilias do bispo terem um tom bastante social e profético. Ele denunciava as injustiças, falava ousadamente do descaso administrativo da secular oligarquia rosado; falava da corrupção que imperava/impera nos sistemas públicos. Ele portava no início do seu episcopado a identidade de um pastor, que carrega as dores e as angústias do povo, dos injustiçados, dos preferidos do Reino. Nos últimos anos do seu episcopado, pouco a pouco, ele se distanciou das questões ligadas aos problemas sociais, seu tom profético já não era mais o mesmo. Não sei o que houve. Talvez tenha sido consequência da idade e do peso do cajado. Pena.

Outra característica determinante no episcopado de Dom Freire foi o zelo pelas pastorais sociais: CEAPAC (Centro de Apoio a Projetos Alternativos Comunitário), CPT (Comissão da Pastoral da Terra) Cáritas, Pastoral da Criança, entre outras. Dom Freire entendia que, ser pastor em uma realidade, onde a maioria vive à margem dos direitos humanos básicos, não priorizar a pastoral social, seria como marginalizar na Igreja o próprio Jesus Cristo, ou seja, relativizar o tão sonhado Reino de Deus, revelado por Jesus nas Bem-Aventuranças de Mateus.

As vocações sacerdotais também são uma característica basilar no governo de Dom Freire. Ele dizia que "o seminário é a menina dos olhos do bispo". Sou fruto da sua época. Tínhamos no seminário, semanalmente, dois encontros sagrados com o bispo: na missa, terça-feira, às 6 da manhã e no terço das quartas-feiras, às 7 da noite. O pouco namorico que ainda tenho com Santa Teresinha é culpa de Dom Freire. Nunca vi tanto amor por uma jovem santa, como aquele de Dom Freire com Teresinha de Lisieux. Falava dela como que tivesse crescido e vivido, desde criança, ao seu lado. Conhecia tudo, desde a cor dos sapatos que Teresinha usava, até os tipos de transas que fazia no cabelo. Penso que toda Mossoró já ouviu, pelo menos uma vez, Dom Freire falando, por exemplo, expressões como: "Santa Teresinha, a doutora do amor" ou "Santa Teresinha dizia: quero passar o meu céu, fazendo o bem sobre a terra".

Olhando também os dois grandes amigos contemporâneos de Dom Freire, Mons. Américo e Pe. Sátiro, conseguimos ver algo parecido. Se para Dom Freire, o seu maior xodó era Santa Teresinha, para Mons Américo, era Santa Luzia, e para Pe. Sátiro, São Francisco e Santa Clara, além de um afeto danado com Santo Agostinho e São João da Cruz. Precisaria perguntar a Sátiro, quem destes citados, ocupa o primeiro lugar.

Medo. Era a emoção que aflorava quando precisava conversar com Dom Freire. Eu nunca tive um bom português e, perto de Dom Freire, pior ainda. Ele era culto no clássico português. No seminário, quando havia reunião ou missa com ele, corrigia publicamente nossos erros gramaticais. Então, ficar calado era a melhor forma para não ser repreendido.

Todavia, embora Dom Freire revelasse esse lado autoritário de ser, ele tinha também seu lado humano e afetuoso. Era gostoso viajar com ele, visitá-lo em sua casa. Saber escutar e compreensivo eram duas virtudes que admirava em Dom Freire.

Hoje, particularmente, agradeço ao Pai Criador por tudo o que Dom Freire fez por mim. Fui acolhido por ele no seminário, foi quem me ordenou padre em São Miguel. Logo após ser ordenado, mesmo sem experiência suficiente, ele me confiou a responsabilidade de cuidar da formação dos seminaristas. Enfim, eterna gratidão ao nosso bom Deus, pelo bem que Dom Freire fez à Igreja de Mossoró e à sociedade em geral.

Descanse em paz.
Do Blog Comunciar é Preciso, do Padre Tavacy Chaves

Momentos de um Natal em família

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Viver as alegrias do Natal, por sí só já é uma maravilha. Viver esses mesmos momentos em família é um verdadeiro presente de Deus. Foi assim o meu Natal! Lindos momentos entre brincadeiras, abraços e afagos. E, como as imagens falam bem mais, veja alguns exemplos de um Natal em família!







ADESE 10 anos! Nem muito, nem pouco!

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
A ADESE está completando 10 anos! Isso significa uma década de existência com muito trabalho e persistência na região do Seridó. Não temos como medir se 10 anos é muito ou pouco! O que sabemos e podemos nos orgulhar, é que nesses 10 anos de atividade, a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó já ajudou a melhorar a vida de milhares de pessoas e ajudou ao Seridó a conquistar um importante espaço na geografia social e econômica do Estado do Rio Grande do Norte.

Ter uma instituição como a Adese é motivo de orgulho para qualquer povo. E, quando esse povo é a "nação Seridó", esse orgulho tem um gostinho bem melhor! Um gostinho que vem acompanhado com um realce de participação popular e divisão de responsabilidades entre as mais diversas camadas sociais da região.

Ao longo desse tempo a Adese esteve presente em todos os municípios e recantos do Seridó. E, quando preciso, levou o Seridó a outros lugares e recantos do país e até para paises da Eupora e América Latina. Foi a voz dos afônicos e a presença dos ausentes quando a necessidade a convocou. Foi a certeza da realização e materialidade de muitos sonhos que pareciam distantes ou meras utopias. Foi a própria força em forma de convocação e ação para que as mudanças pudessem acontecer e renovar as esperanças. Foi a soma e a multiplicação de agentes ansiosos pela construção de um mundo novo a partir do micro espaço de participação cidadã de milhares de seridoenses construtores do seu próprio destino. A Adese foi tudo isso e muito mais!

Mas, se podemos afirmar que a Adese foi e fez tanto ao longo desse imensurável espaço de tempo. Ígualmente podemos afirmar que ela está apta a ser muito mais nos anos que se avizinham. A experiência acumulada a credencia para a realização de muitos projetos em prol de um desenvolvimento que privilegia a sustentabilidade como um valor e a participação social como requisito para a materialização dos sonhos e anseios das pessoas.

Como não há como medir o valor das realizações pela lógica da cronologia, ousemos acreditar que os sonhos estão se  fazendo reais pelas nossas próprias mãos, e que o tempo da ADESE pode estar simplesmente, apenas começando!

Por esses e tantos outros motivos é que celebramos os 10 anos da Adese, louvando à Deus pelos seus construtores e todos os que a fazem ser o maior patrimônio da sociedade civil organizada da regiao do Seridó. Viva a ADESE!
Escrito por Galvão Freire - Diretor-Presidente da ADESE

(IN) justiça brasileira

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
Matéria exibida telejornais noturnos do país.

Paulo, 28 anos, casado com Sônia, grávida de 04 meses, desempregado há dois meses, sem ter o que comer em casa foi ao rio Piratuaba-SP a 5km de sua casa pescar para ter uma ‘misturinha’ com o arroz e feijão, pegou 900gr de lambari, e sem saber que era proibido a pesca, foi detido por dois dias, levou umas porradas.

Um amigo pagou a fiança de R$ 280,00 para liberá-lo e terá que pagar ainda uma multa ao IBAMA de R$ 724,00. A sua mulher Sônia grávida de 04 meses, sem saber o que aconteceu com o marido que supostamente sumiu, ficou nervosa e passou mal, foi para o hospital e teve aborto espontâneo. Ao sair da detenção, Ailton recebe a noticia de que sua esposa estava no hospital e perdeu seu filho, pelos míseros peixes que ficaram apodrecendo no lixo da delegacia.

Quem poderá devolver o filho de Sônia e Paulo?

Henri Philippe Reichstul, de origem estrangeira, Presidente da PETROBRAS.
Responsável pelo derramamento de 1 milhão e 300 mil litros de óleo na Baía da Guanabara. Matando milhares de peixes e pássaros marinhos. Responsável, também, pelo derramamento de cerca de 4 milhões de litros de óleo no Rio Iguaçu, destruindo a flora e fauna e comprometendo o abastecimento de água em várias cidades da região. Crime contra a natureza, inafiançável.

Este camarada encontra-se em liberdade e pode ser visto jantando nos melhores restaurantes do Rio e Brasília!

"Vitória dos Ficha-suja cria frustração feral", avalia cientista político

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»
Para Marco Antonio Teixeira, decisão do STF sobre Jader Barbalho deixa a impressão de que não vale a pena lutar.

Ao confirmar na quarta-feira, 14, o cargo de senador para Jader Barbalho (PMDB-PA), o Supremo Tribunal Federal "gerou um sentimento de frustração na sociedade, deixando a impressão de que lutar não vale a pena", adverte o cientista político Marco Antonio Teixeira. Pouco antes de Jader, dois outros fichas-sujas já haviam obtido o direito de tomar posse no Senado - João Capibaribe (PSB-AP) e Cunha Lima (PSDB-PB).

A campanha pela Ficha Limpa entusiasmou milhares de pessoas, que acreditaram poder ajudar a melhorar a vida política, lembra Teixeira. "A lição que essas pessoas vão tirar é que o mundo político pertence a uma outra realidade. Muitos deles não aceitarão mais entrar em ações desse tipo no futuro".

Professor de Ciência Política na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, Teixeira vê, no episódio, vários aspectos negativos. O desânimo do eleitorado, o mau exemplo dos poderes Legislativo e Judiciário, a incerteza quanto às regras também nas eleições municipais de 2012. E se há um vilão nessa história, acrescenta, são os partidos. "Se eles fossem responsáveis e estivessem interessados na qualidade dos candidatos, o País nem precisaria de uma Lei da Ficha Limpa".

Qual o impacto das decisões do STF validando os cargos dos três senadores fichas-sujas?
Há um óbvio sentimento de frustração geral na sociedade. A Lei de Ficha Limpa nasceu dela, foi debatida e divulgada com entusiasmo. A meta era cobrar mais dos partidos, que só se interessam pelos tais puxadores de votos. Muitos políticos no Congresso aderiram à cruzada, tentando aprovar o projeto a tempo de vigorar já em 2010. A decisão do STF deixa tudo em suspenso.

Para muita gente o Supremo acabou ficando como o vilão da história. É justo?
FONTE: ESTADÃO.COM

Atenção população! Já estamos em plena era das promessas e dos discursos. Basta ligar o rádio e você ouvirá falas bonitas e bem elaboradas, para enganar até o Papai Noel!

Postado por GALVÃO FREIRE | 1 comentários»

Desembargador Cláudio Santos combate em artigo “a festa dos prefeitos” e diz que estão de olho no voto

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
O desembargador Cláudio Santos assinou artigo “A Festa dos Prefeitos”, onde critica as festas públicas com atrações famosas e de alto custos paga com o dinheiro público. “Tenho lido nos jornais, desde há muito, que municípios pobres, como o são todos, contratam cantores famosos, bandas de forró, de axé ou rockcearense(?), por verdadeiras fortunas, para a realização dessas festas, sob justificação de turismo ou coisa que valha”, frisou.


Cláudio Santos deixa claro, o fato real dessas festas: “Em verdade, estão de olho no voto do jovem para alçar voo político de reeleição ou mais amplo, de putado”, escreveu no artigo, publicado em jornais da capital. O desembargador, natural de Jardim do Seridó foi além nas críticas e cobrou uma ação dos orgãos fiscalizadores.

“Parece que essa cultura de pão e circo – o pão apenas da semana santa – que remonta à Roma Antiga, passa despecebida de todos os órgãos de controle da administração pública, inclusive do Poder Judiciário, quando raramente instalado a obstar tais promoções, em uma gritante aceitação do desmando, que promove apenas o gestor, como pessoa política, em detrimento das prioridades administrativas elementares”, argumentou.
 Tirado do Blog de Marcos Dantas.

Meu comentário: 
O Desembargador está coberto de razão. Essas festas só servem para promoções pessoais às custas do dinheiro público. Não promove cultura nem proporciona o verdadeiro lazer. Essas festas deveriam ficar à cargo da iniciativa privada, embora tivesse o apoio das prefeituras no que se refere à segurança da população. Enquanto isso, falta dinheiro para saúde, educação, limpeza pública, segurança, emprego e outras necessidades básicas da população. APOIADO DESEMBARGADOR!

Quando a gente tem fé em Deus, tudo ao nosso redor se torna mais fácil!

Postado por GALVÃO FREIRE | 9 comentários»

Vale do Açu discute seu desenvolvimento

Postado por GALVÃO FREIRE | 0 comentários»
Ontem, 14 de outubro de 2011, das 9 às 13horas, aconteceu uma importante Audiência Pública na Câmara de Vereadores de Açu. O tema foi "Desenvolvimento Sustentável do Vale do Açu. Estive presente e pude constatar o grande potencial daquela região. O quanto faz e quanto ainda pode fazer e se desenvolver.

Sob a coordenção do Deputado George Soares, a audiência contou com um expressivo número de pessoas e autoridades constituídas, dos setores governamentais e não-gonvernamentais. Foi uma importante ocasião para se tomar conhecimento de realidades positivas e situações de extrema necessidade de mudança.

Registro aqui, meus parabéns aos habitantes dos municípios dessa região que, graças à Deus, faz parte desse imenso e grandioso país chamado Brasil, e desse nosso querido estado do Rio Grande do Norte.